sexta-feira, 16 de março de 2018

Creme para bebé

Mais um lote de creme para
bebé, feito com azeite macerado com as minhas calêndulas, camomila, consolda, alfazema, óleo de amêndoas doces, óleo de abacate, cera de abelha, manteiga de karité, gee e mel!
E parece que veio em boa hora, que este mês foi fértil em nascimentos, bem vindos estes Seres, que venham trazer mais compaixão a este mundo e que possam ser eles mesmos, sementes de mudança.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Cremes de rosto

Já estão disponíveis os novos lotes de creme de rosto!
Com o novo ano, vieram novas forças e inspiração para me dedicar a recuperar algumas receitas perdidas, as dos cremes de rosto foram duas delas. Já foram experimentadas com sucesso, mas aguardo o vosso feedback!

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Memórias do Fogo 15 de Outubro

Tanto tem ficado por dizer, e não há como fazer uma passagem suave, depois do que aconteceu...
No entanto, agora estou noutra fase, e sem querer estender-me em publicações, aproveito a mensagem (um turbilhão de coisas haveria a dizer mais) que partilhei no facebook, para que os que me lêem por aqui, possam estar mais a par do que se passou.

"Dia 15 de Outubro foi um dia inesquecível, pelos piores motivos. Para muitos foram só umas notícias na TV, para tantos outros, foi perderem tudo o que construíram e criaram a vida toda, e podem crer que quem vive nestas áreas onde não resta nem um pouco de verde, é e será uma realidade bem presente e constante.
Eu estava na Teixugueira, Arganil, onde tenho vivido nos últimos 2 anos, no autocarro do meu companheiro, felizmente consegui fugir à tempo e salvar o meu carro e a minha gatinha Lua. Do autocarro, das casinhas que estavamos a reconstruir, de toda a madeira que já tínhamos tratado, materiais de construção, todo o jardim de plantas medicinais e ornamentais raras, todas as árvores que criámos de semente, para plantar este ano por aí, todos os alimentos que conservamos para o Inverno, roupas, material informático, painéis solares, baterias, ferramentas, uma enorme biblioteca sobre plantas e medicina natural, e todos os sonhos que nutríamos para este sítio, que ele já cuidava há 15 anos, desfizeram-se em cinzas...
Foi tamanha a dor e confusão, que nem soube que poucas horas depois, a minha casa no concelho de Tábua também teve em risco, e se está intacta, devo-o a alguns vizinhos! Pois o jardim medicinal ardeu todo, tal como tudo ao redor das casas, e a perder de vista!... Todas as terras às quais me dediquei nos últimos anos, incluindo a quinta onde durante uns anos estive, arderam... Mas se aqui se perderam até pessoas, e todas as fontes de sustento desta população, quase todos idosos e com pensões minúsculas, por lá em volta de onde vivia, só nesse vale, arderam todas as casas... Tantas famílias que perderam casa, que não contam para estatísticas pois estavam a viver em locais não considerados residências, e que portanto não terão ajudas... uma comunidade crescente existente perto da Benfeita, felizmente suficientemente forte para ser unida e se apoiar numa situação como esta. 
Os Filhos da Terra tiveram também algumas perdas menores, como alguns carimbos, e algumas caixas de produtos prontinhos, óleos macerados, tinturas, kgs de cera, mas a pior foi sem dúvida os meus livros de receitas, que também arderam no autocarro... Agora percebo que pode ser uma oportunidade de melhorar e aperfeiçoar as receitas, mas algumas terei de começar do zero... 
Pelo menos sinto-me muito grata por estar viva, e por ter onde recomeçar! Agradeço por toda a ajuda, a quem a disponibilizou, por enquanto tenho sementes para a horta, mas a essas boas almas guardiãs da Natureza, às quais estou ligada, eu peço que me preparem algumas estacas e plantas, em breve farei uma lista do que ficou ou do que preciso! 
E peço-vos paciência, pois para mim também é muito importante continuar a desenvolver este trabalho, agora é tempo de ver o que posso fazer e ganhar forças. Estou muito grata por quem tem dado o seu apoio, pois há mil e uma formas de ajudar, e às vezes pequenos gestos ou palavras, numa situação como esta, são o mais importante.
Ah!!! E já comecei a refazer o jardim! Não baixarei os braços!"